Arquivo da categoria: BIBLIOTECA- ANEXOS

PIERCING E TATUAGENS 2

    

  

   

   

O SIMBOLISMO E OS PERIGOS DO PIERCING E DA TATUAGEM

O Dicionário de Simbolos de J.E. Cirlot diz que “o simbolismo ge­nérico engloba tatuagem e ornamentação como atividade cósmica,

incluindo sentido sacrificial, místico e magico’ veja alguns pontos:

1. A tatuagem pode ser um sinal de propriedade e pacto místico

No oriente (China, Japão), a tatuagem estava vinculada às divinda­des configuradas no símbolo. Os líbios tatuavam-se para a deusa Neit, os egípcios para Atargatis e na Síria para deuses diversos.”~

“Na antiguidade, a tatuagem associava-se ao culto dos deuses-demoní­acos e era praticada durante ritos dedicados por feiticeiros. O sangue que brotava das feridas, o qual, segundo criam, levava consigo os espí­ritos malignos.” ~‘Dá idéia de consagração.” O pacto era feito para se incorporar a entidade do desenho: escorpião, demônios I Co 10.20-21).

2. A tatuagem pode identificar o grupo e ser usada como talismã

Na Polinésia identificava o clã e a hierarquia. Na Europa do séc. XVII ela passou a ser propagada pelos marujos como talismã, distinguindo-os dos demais. ‘3’A mafia japonesa, yakuza, surfistas, metaleiros, presidiários, fazem o mesmo. Os nazistas tatuavam judeus para ofenderem sua fé (1 Co 3.16-17; 6.19-20; 1 Ts 5.5).’

3. A tatuagem pode expressar anarquismo e rebeldia

A palavra (attoo, propagada por James Cook, refere-se ao som dos ossos finos usados na aplicação da tatuagem. A máquina elétrica foi patenteada por Samuel O’Relly em 1891, cm Nova York, e che­gou ao Brasil em 1959. A onda atual que inclui o piercing vem dos hippies e punks e da influência do rock pesado. Essa herança comunica rebeldia a Deus, à família e às autoridades. Defende a liberdade sexual e a Nova Era (Ef 5.6-13; 1 Ts 5.22; Cl 3.17; 2.6).


OS PERIGOS DA TATUAGEM E A BÍBLIA

Este estudo fala apenas da origem da tatuagem. Muitos a usam por ra­zões próprias(J Co 8.9; Rm 14.12). Mas, há riscos de contrair o vírus

HIV hepatite, infecções bacterianas e virais. Se você fez a tatuagem sem orientação, a liderança da Igreja local lhe dirá como agir.

“…e escrita de tatuagem não porei em vós” (A Torá – tradução judaica). “Não façam cortes no corpo por causa dos mortos, nem tatuagens em si mesmos” (Lv 19.28 – NVI – Nova Versão Internacional da Bíblia).

O SIMBOLISMO E OS PERIGOS DO PIERCING

A revista Época de 25/02/2 002 aponta diversos perigos do piercing:

Língua – Pode provocar fendas nos dentes e infecção geral.

Sobrancelha – Inchaço e dor impedem a higienização

correta do local e abre caminho para infecções.

Umbigo – A pele pode ficar irritada com reações alérgicas.

Nariz – Danifica os vasos sanguíneos e produz cicatrízes

Em Ex 21.6 perfurar a orelha simbolizava um pacto de escravidão. Ro/and de Vaux, ex-diretor da École Biblique de Jerusalém, diz:

“As leis antigas da Mesopotântia presumem que o escravo seja marcado, conto uma rês, com uma tatuarem um estigma feito com ferro em bra­sa ou ainda com unta etiqueta presa a seu corno (Dt 15.17). …Sinal de identidade, como as tatuagens dos cultos helenísticos.

UM SINAL DE ESCRAVIDÃO

Deus aprovaria algo que chega a mutilar o templo do Espírito Santo? Veja o alerta que a Bíblia faz em Cor 3.16-17. Existe a tese de que os locais mais perfurados estejam relacionados à salvação e que, co­mo certos adornos, o piercing constitui uma tranca que aprisiona a alma (Ez 13.18-2 1). Um sinal visível de escravidão espiritual. Leia os textos abaixo, faça sua própria avaliação e tire suas conclusões:

1. Nariz – fôlego devida (Gn 2.7; 7.22-24; Is 2.22, 42.5; Ec 3.19, 21)

2. Boca – confissão (Ro 10.8-9;IJo 1.9; Mt 15.18;21.16; Tg 3.10; Pv 21.23)

3. Sobrancelhas (olhos) – mente (Mt 6.22-23; Ef 1.17-18, 4.18; II Co 4.4)

4. Orelha – ouvir e crer (Ro 10.14-18; Hb 3.15; Is 6.10; Jr 17.23; Ap 3.6)

5. Umbigo (ventre) – sede da vida (Jo 7.38-39; 4.14; Fp 3.19; Ro 16.18)

Segundo a Clínica Mayo (EUA), numa pesquisa feita com 454 estudantes, um em cada dez usuários do piercing sofreu infecção. A Universidade de Yale informou que uma garota de 22 anos sofreu infecção no cérebro, causada por um piercing de língua. As bactérias da boca chegaram ao cérebro pelo sangue. Você sabia que a lei 9.828/97(SP) proíbe essa prática para menores e que A. La Vey, fundador da Igreja de Satanás defendia a tatuagem e o piercing, por entender que são rejeitados em Lv 19.28 e Dt 14.1-2, e que cer­tas tatuagens são propagandas do mal?(Lc 10.18-20; 10.3; 20.2). O que você diz de Is 3.18-21, 1 Cor 3.16.17; 6.19-20, Rm 12.1-2?

O CRISTÃO DEVE USAR PIERCING OU TATUAGEM?

O pluralismo corrói insidiosamente o cristianismo. Para muitos o piercing e a tatuagem é apenas uma questão cultural. Entretanto, “o Evangelho nunca é o hóspede da cultura; ele é sempre seu juiz e redentor,” pois parte dela é demoníaca. O cristão está na contra­mão (Tg 4.4; 1 J0 2.15; Rm 12.1-2). Que prática você deve rejeitar?

1. Se traz escândalo ou fere a consciência alheia (Mt 18.7; Rm 14.21)

2. Se deforma a dignidade humana (II Cor 4.2;Cl 3.17; 1 Cor 6.12)

3. Se a natureza da prática dá lugar à carne, envolve magia, ocultis­mo, idolatria, exploração, malignidade (Gl 5.13;Cl 3.17;IPd 1.14-25)

4. Se apresenta alguma aparência do mal (1 Ts 5.22; Ef 5.8; Mt 5.13-16)

5. Se viola a autoridade dos pais, pastor, governo (Rm 13.2; Tt 1.9-10)

6. Se traz dúvidas ao coração ou à consciência (Rm 14.22; 1 Jo 3.20)

7. Se não traz edificação ou a glória de Deus (1 Cor 6.19-20; 10.23)

Para J.R. Stott “somos diferentes de tudo no mundo que não é cris­tão e esta contra-cultura cristã é a vida do Reino de Deus.” Por fim, H.R. Niebuhr apresenta Cristo como o transformador da cultura.

É VERDADE QUE A VOZ DO POVO É A VOZ DE DEUS?

A Moda, a Liberdade e a Cultura da Imagem

Fausto Rocha responde: A voz do povo não é a voz de Deus, o povo que gritou: Fora com este (Jesus). Crucifica-o! (Lc 23.18-23) Não é porque bilhões de moscas visitam o lixo diariamente que você fará o mesmo. A realidade virtual explorada nos veículos cul­turais (TV internet, cinema e a arte), comandada por inteligência artificial transformou-se na própria cultura. Dita a moda, valores e padrão de vida, aversos a Deus. As perguntas abaixo guiarão você:

1. Isto prejudicará outros ou fará mal ao meu corpo? (1 Cor 8.9-13)

2. Em meu lugar, o que faria Jesus? (1 Pd 2.21;I Jo 2.6;C1 2.6;Jo 13.15)

3. Posso testemunhar da minha fé enquanto faço isso? (1 Pd 3.15)

4. Minha consciência terá paz se eu fizer assim? (ITm 1.19;I Jo 3.10)

5. Meu pastor está de acordo com essa atitude? (Hb 13.7,17; Rm 13.2)

Conforme a confissão de Westminste, “Todo o conselho de Deus concernente a todas as coisas necessárias para a glória Dele e pa­ra a salvação, fé e vida do homem, ou é expressamente declarado na Escritura ou pode ser lógica e claramente deduzido dela.”

Pastor da Igreja Cristã Presbiteriana. Conferencista e Palestrante. É autor do Livro “Bruxaria para Crianças”

O que a Bíblia diz sobre piercing e tatuagens ?

“…purificai-vos e mudai as vossas vestes” (Gn 35:1)

“Body Piercing” literalmente significa “corpo perfurado”. É uma referência ao uso do brinco em outras partes do corpo que não seja o lóbulo da orelha. Para alguns, o uso do piercing é uma questão de modismo, cultura e beleza.

Para outros, é um sinal de diferenciação, de marginalidade, rebeldia, exibicionismo, fetiche e pode traduzir a identidade com um grupo específico.

Mas diante de tantas interpretações, a moda de enfeitar o corpo com anéis pode trazer complicações físicas e sociais, além de gerar muita polêmica, no que tange a vida espiritual.Embora tenha ganho muitos adeptos entre os jovens, o “Body Piercing” não é nenhuma novidade.

Ele vem sendo praticado por mais de 5.000 anos em rituais de passagens e com significados diversos, geralmente vinculado a questões espirituais.

A Bíblia não fala especificamente sobre o uso do piercing, por isso muitos acreditam que não há nada demais em enfeitar o corpo com eles.

Alguns até incentivam tal prática como estratégia de evangelismo, argumentando que Deus não olha a aparência e sim o coração, e se defendem dizendo que a Bíblia cita mulheres que usavam argola no nariz e nem por isso foram condenadas. Vamos por partes:

Deus não julga o homem pela sua aparência, no entanto, isso não significa que não se importe com ela. Se assim fosse, não haveria tantas orientações e exortações na Palavra de Deus sobre o assunto. Vejamos alguns exemplos:

“Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus.” (I Co 10:32)

“O homem bom cuida bem de si mesmo, mas o cruel prejudica o seu corpo.” (Pv 11:17)

“Fugi da aparência do mal.” (I Ts 5:22)

“…que as mulheres, em traje decente, se ataviem com modéstia e bom senso (I Tm 2:9-10)

Veja também: Ezequiel 16:8-14; Isaías 3:16-24; I Corintios 6:19-20 e 11:6; Deuteronômio 22:5; Mateus 6:17 e 23:26; e II Coríntios 3:6. A Bíblia ensina claramente que nossa aparência exterior deve refletir o interior.

Cristo espera ser glorificado não apenas através do nosso espírito, mas também do nosso corpo (Rm 6:13-19). Pessoalmente, não vejo como um piercing no umbigo pode trazer glória para o nosso Criador…

Outros desavisados, defendem que o uso do piercing é bíblico, baseando-se nos textos de Gênesis 24:30, 47 e Ezequiel 16:12, onde algumas traduções mais antigas trazem a expressão “argolas no nariz”.

Entretanto, um estudo mais cuidadoso do termo no seu original hebraico, demonstra que estas argolas não podem ser interpretadas como “brincos”, ou “piercings”, pois referem-se a um tipo muito comum de colar que saía detrás da cabeça, cobrindo o nariz.

A idéia hinduísta do piercing é de este objeto representa um contato, uma abertura para a atuação de divindades nas mais variadas áreas da vida humana, cada área representada por uma parte do organismo.

É interessante observar que o uso do piercing está tão ligado a estas crenças hinduístas que os locais de colocação dos piercings (lábios, umbigo, nariz, sobrancelhas, entre outros) correspondem, exatamente, aos pontos correspondentes, os chamados “chakras” (rodas, em sânscrito), que são os centros de energia onde se daria a interação entre o corpo e a mente, de onde se poderia estabelecer o controle sobre a mente e o corpo de alguém.

Como bem se observa, portanto, o uso de piercings está totalmente vinculado à colocação do nosso corpo à disposição destas forças espirituais, destes “deuses” que, como servos de Deus, sabemos que se tratam de hostes espirituais da maldade, que combatem incessantemente contra o povo de Deus (Ef 6:12).

Como não há comunhão entre a luz e as trevas (II Co 6:14) e como o corpo do cristão é templo do Espírito Santo ( I Co 6:19), naturalmente que, se alguém está em Cristo, anda na luz (I Jo 1:7) e pratica a verdade, de forma que alguém que seja, efetivamente, um servo do Senhor não estará colocando seu corpo à disposição de quem quer que seja a não o Espírito Santo de Deus.

Sabemos que a Igreja vive dentro de um contexto social dinâmico e sofre contextualização nos seus costumes, conforme a cultura onde ela está plantada. Mas a doutrina em que está fundamentada foi construída por princípios bíblicos imutáveis: qualquer moda ou costume não pode ferir os seus fundamentos. Leis espirituais são eternas.

Nas Escrituras, a prática de perfurar a orelha era símbolo de escravidão e subserviência (Ex 21:1-6). Todas as pessoas que vissem um homem com orelha furada, saberia que ele escolheu, de livre e espontânea vontade, ser escravo de alguém.

Entendemos que o princípio espiritual da escravidão permanece até os dias atuais, sendo que, aquele que submete seu corpo ao uso de piercings está, conscientemente ou não, dando legalidade para que “alguém” o domine.

Lóbulo da orelha: representa a sede da vontade (Ex 21:6, Dt 15:17). Furar a orelha significa que você abriu mão de sua vontade espontaneamente. Biblicamente, não há nenhum problema em que as mulheres usem brinco no lóbulo da orelha (Ct 1:10-11; Ez 16:8-12).

Espiritualmente, este costume simboliza a submissão da vontade da mulher ao seu esposo (Gn 3:16; I Co 11:3-9).

Nariz e queixo: representam ser dominado, ser controlado, sem condições de oferecer resistência (II Re 19:28, Jó 41:2).
Mamilos e genitais: representa a consagração de sua sexualidade a satanás.

Umbigo: representa o elo de sobrevivência, a ligação que transmite a vida. A colocação de piercing neste local consagra a hereditariedade de quem os coloca à submissão de espíritos malignos.

Língua: é o principal órgão de comunicação (Tg 3:6). Representa a consagração da fala aos demônios.
Olhos e sobrancelhas: a Bíblia diz que os olhos são as janelas do corpo (Mt 6:22-23). Colocar piercing nos olhos é dar permissão para entrar em seu corpo tudo o que o seu “senhor” (o diabo) quiser.

Além disso, o uso do “piercing” também está relacionado com o exibicionismo corporal, ou seja, tem como objetivo fazer uma exaltação do corpo, favorecer a sua exibição, inclusive com finalidades de atração física, freqüentemente relacionadas ao erotismo.

Tanto assim é que alguns dos locais de maior utilização de piercing tem sido o umbigo, as genitálias e a gengiva, locais que levam a uma exibição corporal e a uma conotação erótica evidente.

Ora, toda e qualquer atitude que tenha por objeto fazer com que o corpo seja um instrumento de lascívia, de sensualismo, é totalmente contrário ao propósito bíblico do corpo como instrumento de santificação (I Ts 5:23).

O uso do piercing, segundo especialistas, também está relacionado com uma atitude de agressividade e de revolta. O objeto tem tido uma conotação de independência frente ao núcleo familiar e aos pais, uma identificação com a “turma”, uma demonstração de rebeldia e de auto-suficiência.

Devemos ser mansos e humildes de coração, como foi nosso Senhor (Mt 11:29), procurando, sempre, ser dependentes de Deus, pedindo a Ele que sempre a Sua vontade seja realizada em nossas vidas (Mt 6:10), conscientes de que, sem Ele, nada poderemos fazer (Jo 15:5).

Mais ainda! Usar piercing é símbolo de insubmissão a pais e mães. Ora, como bem lembrou o apóstolo Paulo, o único mandamento com promessa é, exatamente, o que determina a obediência aos pais (Ef 6:2).

Assim, tem-se uma atitude de explícito desafio a um princípio ético elementar estabelecido por Deus.

Por fim, alguns vêem no piercing uma tentativa de realce da marginalidade, ou seja, uma demonstração de desejo de uma vida alternativa, marginal, contrária à ordem estabelecida, que nada mais é do que um sentimento de revolta, é querer dizer que “está contra tudo que está aí”, pensamento que perpetua os movimentos de cultura alternativa ou de contra-cultura, surgidos a partir da década de 1950 no Ocidente.

Sabemos que não há quem não esteja, de alguma maneira, descontente com as injustiças sociais deste mundo, no entanto, tais movimentos, na verdade, mantém-se distantes e marginais de Deus, a quem, loucamente, atribuem as mazelas que resultam do pecado, que por eles não é deixado, mas adotado e praticado em meio a seu “discurso revolucionário”.

São pessoas que estão cegas pelo deus deste século e que se mantém afastados de Deus (Ef 2:2-3; II Co 4:4).

O uso de piercing têm levado muitos à escravidão espiritual. Por amor a Jesus, tire-os. Faça uma renúncia por ter entregue áreas da sua vida para que satanás comandasse. É preciso que haja arrependimento e pedido de perdão, por ter cometido pecado ao descumprir a ordem divina de manter o corpo irrepreensível.

Fique livre dessas alianças. Deus quer você por inteiro e não pela metade.

“e todo o vosso espírito, e alma e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (I Ts 5:23)

… Podemos ver na Palavra de Deus pelos menos dois textos objetivos que tratam a respeito:

“Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Gênesis 1:27.

Aqui vemos que o homem, coroa da criação de Deus, foi feito “a sua imagem e semelhança”. Assim, não precisa de complementos em seu corpo, pois já foi feito semelhante ao Ser mais perfeito do universo.

Fazer algum tipo de marca que mude esta imagem e que traga dor naquilo que é considerado o “santuário do Espírito Santo” (ver I Coríntios 3:16-17, 6:19-20) é demonstrar que não está contente com sua imagem (semelhante a de Deus) e desrespeitar a Deus.

O SIMBOLISMO E OS PERIGOS DA TATUAGEM

O Dicionário de Símbolos de J.E. Cirlot diz que “o simbolismo genérico engloba tatuagem e ornamentação como atividade cósmica, incluindo sentido sacrificial, místico e mágico. Veja alguns pontos:

1. A tatuagem pode ser um sinal de propriedade e pacto místico
No oriente (China, Japão), a tatuagem estava vinculada às divindades configuradas no símbolo. Os líbios tatuavam-se para a deusa Neit, os egípcios para Atargatis e na Síria para deuses diversos.

“Na antiguidade, a tatuagem associava-se ao culto dos deuses-demoníacos e era praticada durante ritos dedicados por feiticeiros. O sangue que brotava das feridas, o qual, segundo criam, levava consigo os espíritos malignos.” “Dá idéia de consagração.” O pacto era feito para se incorporar a entidade do desenho: escorpião, demônios (I Co 10.20-21)

2. A tatuagem pode identificar o grupo e ser usada como talismã.

Na Polinésia identificava o clã e a hierarquia. Na Europa do séc. XVII ela passou a ser propagada pelos marujos como talismã, distinguindo-os dos demais. A máfia japonesa, yakuza, surfistas, metaleiros, presidiários, fazem o mesmo. Os nazistas tatuavam judeus para ofenderem sua fé (I Co 3.16-17; 6.19-20; I Ts 5.5).

3. A tatuagem pode expressar anarquismo e rebeldia
A palavra tattoo, propagada por James Cook, refere-se ao som dos ossos finos usados na aplicação da tatuagem. A máquina elétrica foi patenteada por Samuel O’Relly em 1891, em Nova York, e chegou ao Brasil em 1959. A onda atual que inclui o piercing vem dos hippies e punks e da influência do rock pesado. Essa herança comunica rebeldia a Deus, à família e às autoridades. Defende a liberdade sexual e a Nova Era (Ef 5.6-13; I Ts 5.22; Cl 3.17; 2.6).

OS PERIGOS DA TATUAGEM E A BÍBLIA

Este estudo fala apenas da origem da tatuagem. Muitos a usam por razões próprias (I Co 8.9; Rm 14.12). Mas, há riscos de contrair o vírus HIV, hepatite, infecções bacterianas e virais. Se você fez a tatuagem sem orientação, a liderança da Igreja local lhe dirá como agir.

“… e escrita de tatuagem não porei em vós” (A Torá -tradução judaica). “Não façam cortes no corpo por causados mortos, nem tatuagens em si mesmos” (Lv 19.28 – NVI – Nova Versão Internacional da Bíblia).

“Pelos mortos não ferireis a vossa carne; nem fareis marca nenhuma sobre vós. Eu sou o SENHOR.” Levítico 19:28.

Sobre este texto assim se posiciona o Comentário Bíblico Adventista do 7o Dia, no vol. 1: “Provavelmente se refira a tatuagens (assim traduz a versão da Bíblia de Jerusalém – BJ), costume que em si não é imoral, porém certamente indigno do povo de Deus pois tende a danificar a imagem do Criador”.

Do mesmo modo que o apóstolo Paulo, as únicas marcas que deveríamos trazer em nós deveriam ser aquelas em favor de Cristo: “Quanto ao mais, ninguém me moleste; porque eu trago no corpo as marcas de Jesus.” Gálatas 6:17.

Assim que meu conselho é que você analise na sua vida o que vale a pena e o que não porque afinal, sabedoria é a capacidade de discernir as diferença

Que Deus a abençoe hoje e sempre

tal-pai-filho[1] Vivemos uma época permeada por símbolos, enraizados no ocultismo e em crenças pagãs da antiguidade. Transmitem mensagens e imprimem padrões comportamentais. Confronte-os com a Bíblia
SÍMBOLOS DA NOVA ERA
O grego symbállein dá a idéia de reunir realidades: “Se o símbolo se identificar completamente com aquilo que representa ele será adorado, como no caso da cruz.”
Analise alguns à luz da Bíblia:
1. Arco-íris pela metade – pretende ligar o homem a Lúcifer.
Conduz ao inferno (Is 14.12-15; Ap 20.1-3, 10; Ez 28.11-19; Lc 10.18)
2. Fitas entrelaçadas – união infinita amarrada às forças cósmicas.
O cosmos será destruído (Is 24.19-20; 51.6-8; II Pe 3.7,10,12; Ef 1.10)
3. Yin Yang – coexistência pacífica, equilibrada entre o bem e o mal.
O bem está acima do mal (Lc 10.18; Is 5.20, 24; 1 Ts 5.4-11; 1 Jo 1.5)
4. Urano – rege a harmonia da pessoa com a mente universal aquariana.
A consulta aos astros leva à ruína (Is 47.13-14; Jr 8.2; Dt 17.2-5)
5. O olho da pirâmide – representação da divindade sobre a terra.
É abominação (Ez 20.7; 30.13; Is 19.3; 31.1-3; 2.12-18; Jr 43.12-13)
6. Cruz de Nero – pé de galinha, símbolo da paz sem Cristo.
Temos paz em Cristo (Jo 14.27;16.33; Is 9. 6; Fp 4. 7; CI 1.20; Rm 14.17)
7. Estrela de seis pontas – simboliza a evolução e involução.
Não há reencarnação (Hb 9.27; Jo 11.25, 26; 5.24; IJo 5.11-13) “‘
CAMISETAS, ADESIVOS, TÉNIS E BONÉS COM SÍMBOLOS
1. Desenho de escorpião, serpentes e dragões (Lc 10.18-19; Ap 20.2)
2. Figuras egípcias (Ez 20.7; 30.13; Is 19.3; 31.1-3; Jr 43.12-13; 44.8)
3. Formas sensuais (I Pe 2.16; Mt 5.28; Ef 5.3; Cl 3.5-6; Is 57.8 e 17)
4. Magos e figuras esotéricas (Ez 8.5-18;13.18-21;Is 57.1-13; Lv 19.31)
5. Estampas de astros e signos (Is 47.13-14; Jr 8.2; Dt 4.19; 17.2-5)
6. Expressão de anjos e demônios (Ex 20.4; I Co 10.20, 23; I Ts 5.1-11)
7. 666 e símbolos satânicos (Ap 16.13; Ap 19.20; I Cor 10.20)
8. Gestos obscenos e maliciosos (I Pe 2.16; Ef 4.31; Ti 3.3-4; I Ts 5.22)
9. Caveira, morte e trevas (Jo 10.10; 3.19-21; Lc 23.33; Ez 37.1-12)
10. Danças ritualísticas (Analise Cl 3.17; I Pe 1.15; II Pd 3.9-12)
O SIMBOLISMO E OS PERIGOS DA TATUAGEM
O Dicionário de Símbolos de J.E. Cirlot diz que “o simbolismo genérico engloba tatuagem e ornamentação como atividade cósmica, incluindo sentido sacrificial, místico e mágico. Veja alguns pontos:
1. A tatuagem pode ser um sinal de propriedade e pacto místico
No oriente (China, Japão), a tatuagem estava vinculada às divindades configuradas no símbolo. Os líbios tatuavam-se para a deusa Neit, os egípcios para Atargatis e na Síria para deuses diversos.
“Na antiguidade, a tatuagem associava-se ao culto dos deuses-demoníacos e era praticada durante ritos dedicados por feiticeiros. O sangue que brotava das feridas, o qual, segundo criam, levava consigo os espíritos malignos.” “Dá idéia de consagração.” O pacto era feito para se incorporar a entidade do desenho: escorpião, demônios (I Co 10.20-21)
2. A tatuagem pode identificar o grupo e ser usada como talismã.
Na Polinésia identificava o clã e a hierarquia. Na Europa do séc. XVII ela passou a ser propagada pelos marujos como talismã, distinguindo-os dos demais. A máfia japonesa, yakuza, surfistas, metaleiros, presidiários, fazem o mesmo. Os nazistas tatuavam judeus para ofenderem sua fé (I Co 3.16-17; 6.19-20; I Ts 5.5).
3. A tatuagem pode expressar anarquismo e rebeldia
A palavra tattoo, propagada por James Cook, refere-se ao som dos ossos finos usados na aplicação da tatuagem. A máquina elétrica foi patenteada por Samuel O’Relly em 1891, em Nova York, e chegou ao Brasil em 1959. A onda atual que inclui o piercing vem dos hippies e punks e da influência do rock pesado. Essa herança comunica rebeldia a Deus, à família e às autoridades. Defende a liberdade sexual e a Nova Era (Ef 5.6-13; I Ts 5.22; Cl 3.17; 2.6).
OS PERIGOS DA TATUAGEM E A BÍBLIA
Este estudo fala apenas da origem da tatuagem. Muitos a usam por razões próprias (I Co 8.9; Rm 14.12). Mas, há riscos de contrair o vírus HIV, hepatite, infecções bacterianas e virais. Se você fez a tatuagem sem orientação, a liderança da Igreja local lhe dirá como agir.
“… e escrita de tatuagem não porei em vós” (A Torá -tradução judaica). “Não façam cortes no corpo por causados mortos, nem tatuagens em si mesmos” (Lv 19.28 – NVI – Nova Versão Internacional da Bíblia).
O SIMBOLISMO E OS PERIGOS DO PIERCING
A revista Época de 25/02/2002 aponta diversos perigos do piercing:
Língua – Pode provocar fendas nos dentes e infecção geral.
Sobrancelha – Inchaço e dor impedem a higienização correta do local e abre caminho para infecções.
Umbigo – A pele pode ficar irritada com reações alérgicas.
Nariz – Danifica os vasos sanguíneos e produz cicatrizes.”‘
Em Ex 21.6 perfurar a orelha simbolizava um pacto de escravidão. Roland de Vaux, ex-diretor da École Biblique de Jerusalém, diz:
“As leis antigas da Mesopotâmia presumem que o escravo seja marcado, como uma rês, com uma tatuagem, um estigma feito com ferro em brasa ou ainda com unia etiqueta presa a seu corpo (Dt 15.17). …Sinal de identidade. Como as tatuagens dos cultos helenísticos. “
UM SINAL DE ESCRAVIDÃO
Deus aprovaria algo que chega a mutilar o templo do Espírito Santo? Veja o alerta que a Bíblia faz em I Cor 3.16-17. Existe a tese de que os locais mais perfurados estejam relacionados à salvação e que, como certos adornos, o piercing constitui uma tranca que aprisiona a alma (Ez 13.18-21). Um sinal visível de escravidão espiritual. Leia os textos abaixo, faça sua própria avaliação e tire suas conclusões:
1. Nariz – fôlego de vida (Gn 2.7; 7.22-24; Is 2.22, 42.5; Ec 3.19, 21)
2. Boca – confissão (Rm 10.8-9;IJo 1.9; Mt 15.18;21.16; Tg 3.10; Pv 21.23)
3. Sobrancelhas (olhos) – mente (Mt 6.22-23; Ef 1.17-18, 4.18; II Co 4.4)
4. Orelha – ouvir e crer (Rm 10.14-18; Hb 3.15; Is 6.10; Jr 17.23; Ap 3.6)
5. Umbigo (ventre) – sede da vida (Jo 7.38-39; 4.14; Fp 3.19; Rm 16.18)
Segundo a Clínica Mayo (EUA), numa pesquisa feita com 454 estudantes, um em cada dez usuários do piercing sofreu infecção. A Universidade de Yale informou que uma garota de 22 anos sofreu infecção no cérebro, causada por um piercing de língua. As bactérias da boca chegaram ao cérebro pelo sangue. Você sabia que a lei 9.828/97(SP) proíbe essa prática para menores e que A. La Vey, fundador da Igreja de Satanás, defendia a tatuagem e o piercing, por entender que são rejeitados em Lv 19.28 e Dt 14.1-2, e que certas tatuagens são propagandas do mal ?(Lc 10.18-20; 10.3; 20.2). O que você diz de Is 3.18-21,1 Cor 3.16.17; 6.19-20, Rm 12.1-2?
O CRISTÃO DEVE USAR PIERCING OU TATUAGEM?
O pluralismo corrói insidiosamente o cristianismo. Para muitos o piercing e a tatuagem é apenas uma questão cultural. Entretanto, “o Evangelho nunca é o hóspede da cultura; ele é sempre seu juiz e redentor,” pois parte dela é demoníaca.” O cristão está na contramão (Tg 4.4; I Jo 2.15; Rm 12.1-2). Que prática você deve rejeitar?
1. Se traz escândalo ou fere a consciência alheia (Mt 18.7; Rm 14.21)
2. Se deforma a dignidade humana (II Cor 4.2;C13.17; I Cor 6.12)
3. Se a natureza da prática dá lugar à carne, envolve magia, ocultismo, idolatria, exploração, malignidade (Gl 5.13;Cl 3.17;IPd 1.14-25)
4. Se apresenta alguma aparência do mal (I Ts 5.22; Ef 5.8; Mt 5.13-16)
5. Se viola a autoridade dos pais, pastor, governo (Rm 13.2; Tt 1.9-10)
6. Se traz dúvidas ao coração ou à consciência (Rm 14.22; I Jo 3.20)
7. Se não traz edificação ou a glória de Deus (I Cor 6.19-20; 10.23)
Para J.R. Stott “somos diferentes de tudo no mundo que não é cristão e esta contra-cultura cristã é a vida do Reino de Deus.” Por fim, H.R. Niebuhr apresenta Cristo como o transformador da cultura.
É VERDADE QUE A VOZ DO POVO É A VOZ DE DEUS?
A Moda, a Liberdade e a Cultura da Imagem
Fausto Rocha responde: A voz do povo não é a voz de Deus” Foi o povo que gritou: Fora com este (Jesus). Crucifica-o! (Lc 23.18-23) Não é porque bilhões de moscas visitam o lixo diariamente que você fará o mesmo. A realidade virtual explorada nos veículos culturais (TV, internet, cinema e a arte), comandada por inteligência artificial transformou-se na própria cultura. Dita a moda, valores e padrão de vida, aversos a Deus. As perguntas abaixo guiarão você:
1. Isto prejudicará outros ou fará mal ao meu corpo? (I Cor 8.9-13)
2. Em meu lugar, o que faria Jesus? (I Pd 2.21;1 Jo 2.6;C12.6;Jo 13.15)
3. Posso testemunhar da minha fé enquanto faço isso? (I Pd 3.15)
4. Minha consciência terá paz se eu fizer assim? (ITm 1.19;1 Jo 3.10)
5. Meu pastor está de acordo com essa atitude? (Hb 13.7,17; Rm 13.2)
Conforme a confissão de Westminster, “Todo o conselho de Deus concernente a todas as coisas necessárias para a glória Dele e para a salvação, fé e vida do homem, ou é expressamente declarado na Escritura ou pode ser lógica e claramente deduzido dela.

Autor desconhecido.

PIERCING E TATUAGENS

 

Conseqüências Espirituais de Piercings e Tatuagens

Tatuagens sempre foram símbolos que permeavam rituais demoníacos em vários povos da antigüidade. Os povos criam que os demônios que eram representados por desenhos, tomavam suas formas no corpo das pessoas. Muito se discute sobre as origens das tatuagens, mas sabemos que eram feitas no Egito antigo, na Índia a nos povos da Oceania há milhares de anos atrás.

Perdendo, hoje, o significado antigo de suas origens, as tatuagens passaram a ser uma “opção estética” de parte da população. As pessoas procuram tatuagens para “embelezar” o seu corpo de acordo com sua personalidade. O fato é que, mesmo perdendo o seu significado de origem, elas não perderam suas representatividades espirituais. A Bíblia diz em *Lv 19:28, que não devemos marcar a nossa carne.

As tatuagens eram feitas no Antigo Egito, na Índia, e na Oceania em rituais de bruxaria, como sendo uma oferenda para os “deuses” que, quando o sangue caia do corpo das pessoas ele era recebido pelos “deuses” e eles passavam a habitar no corpo das pessoas.

Não muito distante, hoje, sabemos que os satanistas modernos, fazem tatuagens dependendo do pacto feito com suas entidades. As tatuagens hoje têm o mesmo significado, sendo considerada como um pacto de sangue. Quem possui uma tatuagem hoje, e é cristão deve se arrepender de ter feito um pacto de sangue inconscientemente e receber uma ministração de libertação para cancelar os efeitos espirituais das mesmas.

Piercings de semelhante modo, também possuem uma origem muito antiga. No Antigo Egito era usado entre os nobres e faraós em rituais secretos de perversão sexual. Na índia igualmente.
A grande indagação, até mesmo a favor dos Cristãos é que, o piercing é semelhante ao brinco e se, usar brinco é permitido, usar piercing também o é.

Vamos a um estudo histórico do piercing: No meio dos israelitas o piercing, era uma forma de identificar a escravidão (*Êx 21:6), não era como um brinco dos de hoje, pois eram proibidos para os homens, porque não poderiam ter os trajes de uma mulher (*Dt 22:5), quando a Bíblia fala de trajes, ela também fala de adornos com brincos e colares. Era sim um “piercing”. De acordo com estudos históricos a Rainha Jezabel, a mais profana de todas as rainhas de Israel, tinha o costume de usar um piercing no nariz, como se fosse uma argola (Diferente do de Rebeca *GN 24:47, que não possui furos como o de Jezabel) e, sabemos que essa rainha foi a mais pagã de todas, influenciada por espíritos demoníacos que levou Israel à beira da ruína. O brinco independentemente do piercing, em certa idade e no local certo não retira sangue das pessoas que recebem o furo.

Espiritualmente falando o piercing serve como um objeto de sinalização para os demônios possuírem certa área do corpo da pessoa. Dependendo da área em que foi colocado no corpo ele abre portas para os demônios entrarem. Vamos às áreas:

Boca: Na língua, pode acarretar prisões na área da fala e trazer espíritos de sensualidade para a vida da pessoa, assim como na gengiva.

Nariz: Simboliza a atuação de espíritos de orgulho e altivez.

Orelha: Causa aprisionamento em áreas específicas do corpo, dependendo da área onde for colocado.

Umbigo: Área de atuação de espíritos de sensualidade e de lascívia.

Órgãos Genitais: Dá lugar a espíritos de prostituição e de perversão sexual.

Sobrancelhas: Área que sintetiza a mente; dá lugar à passividade mental.

Existe um piercing que é colocado no dente que não retira sangue, porém sintetiza uma sinalização espiritual com as trevas com espíritos de sensualidade.

Além da possibilidade de causar infecções e diversos acidentes com o corpo da pessoa.

A pessoa que possui um piercing, deve se arrepender de ter feito um pacto de sangue e uma sinalização à espíritos malignos e ser ministrada para cancelar todos os efeitos espirituais dos mesmo em sua vida. Além de retirá-los.